TV União Rádio União Impressas - PDF Interativo

Ibiporã • 09 de janeiro de 2018 • 08h35

Vigilância Epidemiológica realiza primeiro LIRAa do ano em Ibiporã

Setor de Endemias realizará a partir do dia 15 o Levantamento Rápido do Índice de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa), transmissor da dengue, zika e chikungunya

 

A Secretaria Municipal de Saúde, por meio do setor de Endemias, começará a realizar no dia 15 (segunda-feira) o primeiro Levantamento Rápido do Índice Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), mosquito transmissor da dengue, zika e febre chikungunya do ano. Agentes de endemias inspecionarão imóveis em todas as regiões da cidade.

 

No LIRAa, os agentes realizam a coleta de larvas para análise, além de remover criadouros e orientar os moradores sobre medidas de prevenção e combate ao mosquito. Com o levantamento é possível mapear os locais com altos índices de infestação do Aedes aegypti e priorizar o combate do vetor neles.

 

O último LIRAa realizado em Ibiporã, entre os dias 20 e 24 de novembro de 2017, apontou o maior índice de infestação do mosquito do ano passado - 2,2%, ou seja, a cada 100 imóveis visitados, dois apresentaram criadouros do vetor da dengue. O índice é maior do que o preconizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) - de até 1%. De 1 a 3% o Ministério da Saúde considera situação de alerta e acima de 4% risco de epidemia de dengue. Conforme o levantamento, os focos foram encontrados em toda a cidade, e a maioria no interior dos quintais, evidenciando o descuido da população com o acúmulo de água em recipientes e no material reciclável.

 

Entretanto, Ibiporã teve uma redução drástica de casos e notificações de dengue em 2017 em comparação a 2016. De janeiro a dezembro de 2016, o Setor de Epidemiologia registrou 2.781 notificações e 1.441 casos confirmados. Já em 2017 (até 15/12), foram registradas 428 notificações de dengue, com apenas 14 casos confirmados. A intensificação das visitas casa a casa para remoção e eliminação dos criadouros e orientação dos moradores e a aplicação da vacina para o público entre 15 e 27 anos colaboraram para a redução da circulação viral em Ibiporã.

 

Atualmente, a Vigilância Epidemiológica está realizando pesquisas em pontos estratégicos (pontos com grande risco de proliferação do Aedes Aegypti) do município, cujas visitas ocorrem de 15 em 15 dias. Entre os pontos visitados estão ferros velhos, borracharias e o Cemitério Municipal São Lucas.

NC/PMI

 



Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Faça seu comentário